sábado, 11 de agosto de 2018

A maré de boçalidade fascista

Ayrton Centeno

Se alguém tem alguma desconfiança sobre o horror destes tempos, basta ver o que aconteceu com a família de Manuela D`Ávila no clube Veleiros do Sul. Cinquenta anos atrás, sob a ditadura, barrava-se o ingresso de pessoas negras em clubes e CTGs. Os negros continuam sendo discriminados por uma sociedade doente, cevada no preconceito e infectada pelo vírus da escravidão. A novidade, agora, na maré de boçalidade fascista que tudo agride, é que há brancos e brancas, de classe média, também incorporados à condição de vítimas.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Web Analytics