quinta-feira, 13 de julho de 2017

Os argumentos mais imbecis para defender o imbecil Sérgio Moro

Jorge Furtado

Lula, na declaração que fez lançando sua candidatura à presidência da república em 2018, disse que estava mais tranquilo agora que sabe "o tamanho da mentira". De fato, na sentença de 250 páginas escrita por Moro (tamanho equivalente a Memórias Póstumas de Brás Cubas + Dom Casmurro) não há prova alguma da acusação de que Lula seja ou tenha sido proprietário do tal "triplex", que ele visitou uma vez.

Os racistas sociais que buscam uma justificativa para o seu ódio ao Lula utilizam dois argumentos principais para defender o juiz de Curitiba, eu não sei qual dos dois é o mais idiota.

O primeiro é que Lula pretendia receber o apartamento, mas desistiu quando soube da investigação. Ou seja: ele pretendia, dizem, cometer um crime, mas não cometeu. Seria, portando, culpado pela intenção ou desejo de cometer um crime, que não houve. Tal argumento me condenaria a muitos anos de reclusão por vários assassinatos de laterais do Grêmio que não conseguiam cruzar uma bola na área, por exemplo.

O segundo é que a prova de que Lula estava ocultando a propriedade do apartamento é que não há nenhuma prova de que ele seja ou tenha sido proprietário do apartamento. Me lembra a piada do detetive que, tendo sido informado que nenhum fio de cabelo foi encontrado na cena do crime dá o caso por desvendado e manda prender o careca.

Se o que Moro e os golpistas tinham era isso, a condenação serve como um atestado de idoneidade de Lula, isso no momento em que o governo é exercido por uma quadrilha de punguistas com um vasto currículo de crimes. Aposto que nas próximas pesquisas eleitorais Lula vai aumentar ainda mais sua já larga vantagem sobre os outros candidatos. Veremos o que veremos.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Web Analytics