domingo, 16 de julho de 2017

Caminhada da Vergonha em Curitiba

Alvaro Borba

Você assiste Game of Thrones? Sabe aquela cena em que a rainha Cersey é submetida a um castigo chamado de "Caminhada da Vergonha"?

Eu vi coisa parecida com aquilo acontecer ao vivo ontem.

Não sei se o Brasil vai ouvir falar do casamento da filha do ministro da saúde, em Curitiba, mas deveria.

A moça (ou a família dela) achou que seria uma boa ideia realizar uma festa luxuosa num desses lugares em que as pessoas vão pra sentar no meio fio e beber catuaba no bico da garrafa. Dois endereços dessa região foram usados para a festa: uma igreja e um palácio (edifício histórico que teve a fachada adulterada ilegalmente para a ocasião).

Para ir da missa para a festa, os convidados atravessaram a muvuca noturna a pé, escondendo os rostos com seus paletós; como presos no caminho para a delegacia. Durante todo o percurso, foram atingidos por ovos, farinha, sacos de lixo, cerveja barata e, claro, catuaba. Da multidão, ouviram os piores xingamentos e até uma ou outra ameaça de morte.

Em Curitiba, compararam a coisa toda com a Revolução Francesa. A coincidência da data é interessante, apesar da comparação ser mais um daqueles típicos exageros que Curitiba comete ao falar de si.

Uma cena me chamou a atenção: uma das convidadas, ao ser atingida por um copo de cerveja, tentou revidar e usou seu poderoso xale laranja com bordados dourados para atingir uma manifestante. O golpe não foi, digamos, super efetivo.

Pouco depois disso, o estouro de duas bombas abafou tanto a voz da multidão que gritava palavrões de ordem quanto a música vinda da festa: What A Wonderful World.

Percebendo que tanto o playlist quanto o esquema de segurança ignoraram as formas de vida fora do palácio, pedi mais um copo de cerveja pra me ajudar a pensar melhor sobre tudo aquilo. Um jovem se interessou pela minha bebida. Queria jogá-la em alguém. Argumentei que o copo estava cheio, gelado, gostoso e ofereci um gole ao moço. Ele ignorou minha oferta e foi atrás de alguém mais disposto a colaborar. Achou um outro copo de cerveja e acertou a camisa branquinha de um convidado que subia a rua. O homem, todo molhado, revelou a cabeça que escondia debaixo do paletó e gritou: POBRE! Essa palavra mágica fez com que um saco de lixo se materializasse no ar e viesse voando na direção dele.

Foi nessa hora que lembrei da Cersey. Ela lidou com a "Caminhada da Vergonha" melhor que esse cara.


Game of Thrones - Cersei's Walk of Atonement

Um comentário :

  1. Foi show o escracho dos curitibanos.a família inteira é golpista e ajudando a ferrar com o brasileiro pobre todos os dias,tiveram o que mereciam.um alívio ver que Curitiba tem gente consciente não só os mortos e dalAgnois

    ResponderExcluir

Web Analytics