quarta-feira, 5 de julho de 2017

A era da inocência morreu no Brasil: esse mar de lama não comporta mais inocentes


Rubem Gonzalez

REVELAÇÕES

O Temer biblicamente é a mulher que disse ao Rei Salomão que poderia cortar o bebê ao meio na disputa coma mãe verdadeira. Dispor sobre o que não lhe pertence é a marca dos ladrões e facínoras pela história.

É assim que ele age e atua, afinal ninguém foi enganado, avisou de viva voz em depoimento público que sabia lidar com ladrões, portanto ele hoje apenas exercita o ofício que já confessou dominar com maestria.

Cada dia a mais que esse marginal passa frente ao governo e com o apoio consentido de uma quadrilha, uma gangue sustentada pela corrupção disfarçada de emendas ou totalmente despudorada em formas de malas cheias é um degrau que descemos.

Esse processo por que passamos é necessário, não sairemos mais puros ou limpos do que entramos mas com certeza a inocência e/ou a falsa inocência e a hipocrisia serão se não varridas do mapa ao menos desmascaradas em praça pública.

O STF confessa publicamente que é corrupto, o Gilmar Mendes comprova que os trâmites naquela casa são uma fraude, o Marco Aurélio de Mello espinafra na cara do povo que a lei não é feita para eles e que crimes serão consentidos para quem possa arcar monetariamente por eles.


Aécio Neves é pego em flagrante delito em rede nacional roubando, sendo comprado como quem compra um pote para coletar merda e de dedo em riste acusa o povo, os seus detratores, seus inimigos e a verdade ululante de mentirosos e que irá processá-los (sic).


Sérgio Moro escancara a sua Farsa-Jato que desmascarada junto com o seu psicopata fuinha, aproveitador e adorador do bezerro de ouro Dallagnol não passa de um posto avançado da gangue que deseja não combater a corrupção, mas sim mudar os donos e mandatários das mesmas.


Enquanto isso, corpos insepultos são jogados nos porões mal fechados do crime comum, do empresário no nordeste suicidado a força com chumbinho ao ministro afogado com todos que estavam a bordo passado pelo Arcanjo dependurado numa janela de um metro de altura lembrando um Herzog pós moderno mostram que a gangue não tem limites.

A família criminosa segue sua saga com um Parente deslumbrado vendendo por dez o que vale mil e colocando cem de propina no bolso, empobrecemos quando trancafiaram um almirante que enriquecia urânio e afundaram o seu submarino atômico a mando dos capos do norte. Jogaram a chave fora de sua cela, foi acusado de receber de propina menos do que o Moro recebeu no período em pagamentos acima do teto, portanto ilegais. Jamais proferiu palestras remuneradas apesar de ter capacidade para tal ou comprou apartamentos com incentivo para pessoas de baixa renda.

O Brasil que emerge desse mar de lama não comporta mais inocentes, não comporta mais a turma do "não sabia", não comporta mais alguém dizer que todos são iguais porque não são, há uma diferença abissal entre esses corruptos, ladrões e traidores da pátria para os cidadãos de bem.


A era da inocência morreu em 2017 definitivamente depois de passar séculos na UTI, todos esses elementos que citei acima poderão continuar andando tranquilamente, poderão continuar sendo endeusados, eleitos e tratados como divindades, é um direito que todo o cidadão detém.

Só não vai dar mais para dizer que não sabia, que comprou gato por lebre, ninguém poderá desdizer o que desdisse, atitudes serão tomadas e suas consequências serão intrinsecamente aceitas, ninguém poderá mais votar num Aécio ou elogiar um Gilmar Mendes sem assumir que tem bandidos como ídolos.

Esse é o legado que vai nos tirar da idade média e nos trazer para a contemporaneidade, só saberemos indicar e apontar os nossos homens públicos de bem depois de marcar os bandidos que nos representam no momento. A sorte está lançada....


Nenhum comentário :

Postar um comentário

Web Analytics