quarta-feira, 5 de julho de 2017

A ascensão do Fascismo: Doria é um Bolsonaro de cashmere


Um elemento presente em grande parte do pensamento de direita é a desumanização dos dominados, como forma de negar solidariedade e direitos a eles. O trabalhador nada mais é que um capitalista frustrado, culpado por sua própria incapacidade de mudar de classe (esse raciocínio já está em Locke e justifica a negação dos direitos políticos aos assalariados). O pobre é vítima de sua própria preguiça. Os excluídos são vistos sempre como ameaças.

É essa desumanização, em grau extremo, que permite ao prefeito de São Paulo retirar os cobertores dos moradores de rua, num dos invernos mais frios dos últimos tempos. Doria ainda está afinando o discurso, mas na prática já está perfeitamente alinhado a Bolsonaro.


Por Paula Paiva Paulo, G1 SP, São Paulo

A Prefeitura de São Paulo retirou os 40 colchões que faziam parte da estrutura da tenda de assistência social da Rua Helvétia, no Centro da cidade. A tenda foi criada para acolher usuários de droga da Cracolândia durante o programa Braços Abertos, da gestão do ex-prefeito Fernando Haddad. Atualmente tem função híbrida, com assistentes sociais e agentes de saúde.

Questionada pelo G1, a Prefeitura afirmou que "a tenda da Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social na Rua Helvetia nunca foi um local de abrigo, era usada assim de maneira precária e informal".

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Web Analytics