segunda-feira, 19 de junho de 2017

Só a falta de instrução do povo explica o que os bancos e financeiras fazem no Brasil

Vinicius Duarte 


A taxa de juros praticada pelos bancos e financeiras no Brasil no segmento de pessoa física só tem UMA explicação: a falta de educação do povo.

Esqueçam as justificativas do tipo "alta taxa de inadimplência" ou "alto custo do dinheiro no país", constantemente repetidas pelos analistas do mercado e banqueiros. É tudo uma cortina de fumaça pra esconder que os agentes arrancam o couro e a carne do povão pois sabem que ele não tem a menor intimidade com números e porcentagens, e é incapaz de fazer as quatro operações aritméticas com desenvoltura razoável.

Uma pequena prova vai no print abaixo: qual empresa, em qual país do mundo, faria uma proposta dessas se não tivesse certeza de que o consumidor não entende patavina do que está escrito?

(outra prova: eu postei isso no Twitter, e boa parte das pessoas tentou "me explicar" o que acontece sem perceber o tamanho do absurdo que está escrito nele).


Desenhando

A empresa quer te obrigar a ter o cartão dela para pagar menos caro:

R$ 1.879,00 à vista ou em 14 vezes no cartão. Um absurdo financeiro: você cobraria o mesmo preço de quem quer comprar algo seu à vista e de outra pessoa que quer pagar em 14 meses? Na verdade, as Casas Bahia não fazem vendas à vista, somente financiadas pela financeira própria ou com juros astronômicos sem a financeira.

Se você não aceitar a proposta de adquirir o cartão deles, o preço quase dobra: você pagaria R$ 1.879 em 14 vezes, agora a proposta é R$ 3.318,48 ! Claro que alguém poderia dizer que o prazo é maior, mas a principal característica de prazo maior é parcela menor e neste caso a parcela é maior! Se você tem R$ 138,27 para pagar mensalmente, obviamente poderia pagar R$ 134,22...

Depois de 14 meses de 138,27 você já pagou 1.935,78, mas ainda continua devendo R$ 1.380,27!!

Não tem descrição melhor, não: só burro aceita.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Web Analytics