segunda-feira, 26 de junho de 2017

Justiceiro sociopata de Curitiba condena Palocci sem prova nenhuma

Claudio Guedes

Eficiência (sic)

Vejo agora no UOL, 26/06, que Antonio Palocci, ex-ministro de governos petistas, foi condenado a 12 (doze) anos de prisão pelo juiz Sérgio Moro:

O motivo:

a) "Palocci, segundo o relato dos investigadores, interferiu na licitação da Petrobras sobre 21 sondas a fim de que os contratos beneficiassem a Odebrecht. "Entre 2006 e 2015, Palocci estabeleceu com altos executivos da Odebrecht um um amplo e permanente esquema de corrupção destinado a assegurar o atendimento aos interesses do grupo empresarial na alta cúpula do governo federal. A propina vinda dos desvios tinha como destinatário principal o PT, segundo o MPF".

b) Palocci foi denunciado pelo MPF em outubro de 2016.

Nos conheço aos autos do processo, mas chama a atenção de qualquer observador atento quatro coisas:

1) a acusação, um tanto vaga, que o ex-ministro interferiu em licitação. O que significa interferir? Comandou, determinou, decidiu?

2) o que significa estabeleceu um amplo esquema de corrupção? quais os atos praticados objetivamente?

3) a propina tinha como destinatário o PT? Então nada foi encontrado nas contas do ministro como proveniente de recursos de propina?

4) denunciado em outubro de 2016, o ex-ministro, que está preso preventivamente desde então, foi condenado no prazo recorde de 8 meses. Uau!!!

Só para lembrar:

O ex-governador de Minas Gerais Eduardo Azeredo (PSDB), o primeiro político condenado pelo esquema conhecido como mensalão dos tucanos, foi condenado, no processo, 17 anos após a denúncia. Apenas 17 anos!!!!

Nenhum politico, nem nenhum ex-ministro do PSDB, passou até hoje nem um dia na cadeia. Nenhum.

A justiça brasileira tem uma forte "queda" pelo PT, há alguma dúvida?

Caso alguém tenha dúvida pode ir tirar com o visconde de Higienópolis, o inesquecível FHC, que anda muito falante ultimamente.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Web Analytics