terça-feira, 6 de junho de 2017

Cabide de emprego do PSDB em Jundiaí custa 7,8 milhões ao ano

Chupa que é de uva, otário!

Novos comissionados do Paço custarão R$ 7,8 milhões ao ano
JJ

A Prefeitura de Jundiaí terá um custo anual de R$ 7.867.576,68 para manter os 64 funcionários de comissão nomeados nesta sexta-feira (13). A lista completa foi divulgada na Imprensa Oficial (IO). Do total, 63 funcionários estão à frente de cargos de direção (CC-3) e um cargo é para assessor especial da Saúde (CC-2). Todas as funções eram existentes e também estavam ocupadas no governo anterior. Nas despesas não estão calculados os valores individuais dos benefícios vale-alimentação (R$ 507,41) e auxílio transporte (R$ 304). O valor acima foi calculado pelo JJ Regional com base nas tabelas salariais de comissionados disponíveis no site da Prefeitura de Jundiaí.

Em nota, o Executivo Municipal informa que os quantitativos são os mesmos (da gestão anterior), entretanto não foram nomeados em sua totalidade. Com a reforma política proposta pelo governo, o Executivo esclarece que existe a intenção de reduzir ou unificar os cargos, conforme anúncio feito pelo prefeito Luiz Fernando Machado (PSDB). Novos diretores podem ser nomeados, porém, até o momento, não há definição sobre quantitativo e respectivas unidades.

Antigos nomes - Alguns dos novos diretores integravam funções em outras administrações do PSDB, como o caso de Ari Castro Nunes Filho, ex-secretário de Desenvolvimento Econômico do governo do ex-prefeito Miguel Haddad e ex-presidente do PTB, hoje comandado pelo vereador Marcelo Gastaldo. Outros conhecidos de gestões tucanas são José Roberto Rizzoti, agora diretor do Departamento de Planejamento e Execução Orçamentária, e Jamil de Jesus Giacomello, nomeado diretor de Comunicação Social.

Há ainda funções ocupadas por diretores da última gestão, de Pedro Bigardi (PSD), como o caso de Gilson Pichioli, à frente da pasta de fomento industrial, e de José Dimas Gonçalves, diretor de Ciência e Tecnologia. Conforme adiantado pelo JJ Regional, José Galvão Braga Campos, o ex-vereador Tico (PSDB), assume a diretoria de Assuntos Parlamentares. Outro ex-vereador, Silvio Ermani (PV), assume a diretoria de Relações Institucionais na Fundação Municipal de Ação Social (Fumas), onde já atuou no passado em cargo de confiança.

Os novos comissionados vão trabalhar em diferentes pastas, como a Educação, que nesta sexta-feira (13) oficializou alguns diretores. São eles: Adauto Douglas Parre (diretor de Educação Inclusiva), Maria Eneida Spinelli Salvadori (diretora de Supletivo), Sonia Rosiney Andres Costa (diretora do Centro de Línguas), Ellen Terezinha Leonel de Moraes Candidato (diretora de Ensino Fundamental), Rosana Aparecida Faccioni Branco (diretora de Fomento à Literatura) e Elisabete Aparecida Zago (diretoria de Alimentação e Nutrição), companheira do secretário de Educação, Oswaldo Fernandes, presidente do PSB de Jundiaí.

Sobre este último caso e a possibilidade da configuração de nepotismo, o Executivo informa, em nota, que “o entendimento atual do Supremo Tribunal Federal (SV 13 com o art. 37 da CF/88) indica que a prática do nepotismo não decorre diretamente da existência da relação de parentesco entre pessoa designada e agente político ou servidor público ocupante de cargo em comissão”.

Valores - Atualmente, o salário do CC-3 é de R$ 7.276,02, e o de CC-2 é R$ 9.919,24. Além disso, há um acréscimo de 40% sobre o salário dos profissionais que possuem nível universitário, conforme o artigo 96 da Lei Complementar 499, de 2010.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Web Analytics