segunda-feira, 1 de maio de 2017

Voto é como samba: não se aprende na escola

Sírio Possenti 

Uma das coisas mais repetidas é que, com mais educação (escolaridade), as pessoas votariam melhor. 

Tese sempre desmentida pelo menos por um fato: pessoas muito cultas (economistas, filósofos, sociólogos...) discordam entre si. Bresser e Delfim não votaram nos mesmos candidatos, por exemplo, na última eleição presidencial, nem Renato Janine Ribeiro e Felipe Pondé (perdão pela citação dos dois assim na mesma lista). 

Agora se sabe que os eleitores que preferem Bolsonaro são jovens de alta escolaridade... Como se pode ver, voto é como samba: não se aprende na escola.

Um ignorante formado em Harvard

Um comentário :

  1. Toda a sabedoria, riqueza, talento, inteligencia e nobreza emana do trabalho braçal.
    Sem sacrifícios e calos nas mãos, tudo o que homem pensa ter é mentira, não é justo, descente, lícito e justificável.

    ResponderExcluir

Web Analytics