terça-feira, 23 de maio de 2017

Se não fosse uma tragédia, a Justiça brasileira seria uma piada

A República arde e o MP denuncia Lula por pedalinhos, barco de lata e shampoo


Trechos que extraio da denúncia apresentada por Deltan Dallagnol e demais “tarefeiros da Força” de Curitiba, para provar que Lula e Marisa Letícia usavam o sítio de Atibaia, o que jamais foi negado por eles.
Em 05 de agosto de 2014, MARADONA [caseiro do sítio]encaminha para o INSTITUTO LULA correio eletrônico com o título “lago e pato”, com seis anexos de fotos do lago e pedalinhos do sítio, adquiridos por segurança de LULA459 . Com efeito, por ocasião do cumprimento de mandado de busca e apreensão no sítio de Atibaia, os pedalinhos foram lá encontrados pelos Peritos Federais, assim como suas capas, as quais levavam os nomes dos netos de LULA.”
 Em 05 de outubro de 2014, MARADONA encaminha para o INSTITUTO LULA com o título “armadilha”. No e-mail, o caseiro do sítio de Atibaia informa que “morreu mais um pintinho essa noite e caiu dois gambá nas armadilhas” No banheiro da suíte principal também foram encontrados diversos produtos manipulados que apresentavam em seu rótulo a identificação de MARISA LETÍCIA LULA DA SILVA como cliente
Notas fiscais de fornecedores e prestadores de serviços que indicam ser LULA o proprietário e possuidor do Sítio de Atibaia:
MARISA LETÍCIA adquiriu uma pequena embarcação para o Sítio de Atibaia junto a empresa Miami Náutica Ltda., representante comercial da Alumax Náutica Eirelli – EPP485 . Conforme informado pelos responsáveis por tais estabelecimentos comerciais, dois senhores, que se identificaram como DARIO (Tel. xx) e LUIS (Tel. xx), efetuaram a compra de um Barco Squalus 600, no valor de R$ 4.126,00, em nome de MARISA LETICIA.
Na residência de LULA, também foram encontrados documentos relativos a pedalinhos que foram adquiridos da empresa IPE FIBRA DE VIDRO LTDA (CNPJ 20.886.339/0001- 44), em setembro de 2013, pelo valor de R$ 5.600,00, e entregues no Sítio de Atibaia
Tudo isso para provar o que não é negado: que Lula e Marisa faziam uso do sítio, que pertence a Fernando Bittar, filho de Jacob Bittar, velho amigo do ex-presidente. Ao menos que eu lesse, não é descrito o conteúdo das latas de lixo certamente reviradas.

Daí, parte-se para relacionar obras feitas de favor para dotar o sítio de mais conforto como resultado de um esquema criminoso que inclui navios-sonda da Petrobras, refinarias e outras obras de bilhões, numa evidente desproporção com o que poderia ser achaque.

Francamente, não consigo fugir dessa impressão de ridículo que tudo isso causa, numa República que está em chamas, com malas de dinheiro passando de lá para cá, com percentagem de 5% em negócios de milhões, com o presidente da República ouvindo – com ou sem edição – que o silêncio de Eduardo Cunha e juízes e promotores haviam sido comprados…

Se não fosse uma tragédia, a Justiça brasileira seria uma piada.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Web Analytics