quarta-feira, 17 de maio de 2017

"Lula tem que morrer", gritava médico acusado de violentar paciente

"Lula tem que morrer", gritava médico acusado de violentar paciente em São Bernardo

Redação SBC INFO

Na manhã desta quarta-feira (17), uma mulher de 48 anos, moradora da cidade, fez uma denúncia durante sessão pública da Câmara Municipal de São Bernardo do Campo.

De acordo com o depoimento, ela foi atendida pelo médico Aurelino Santana Reis, ginecologista que atuava na Policlínica do Centro, instituição mantida pela Prefeitura.

No boletim de ocorrência registrado na Delegacia da Mulher, em abril, a vítima relatou que o profissional mudou sua postura quando soube que a paciente trabalhava no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC.

“Lula tem que morrer, você tem que colocar chumbinho na comida dele, ele acabou com nosso país”, gritava o médico que passou a usar o aparelho de ultrassonografia transvaginal com violência. O uso descontrolado do equipamento teria causado dores e ferimentos na região íntima da vítima.

Ainda segundo o registro policial, o médico não escutou os pedidos de calma e continuo agindo com brutalidade. Ao microfone da Câmara, a vítima, visivelmente emocionada, exigiu providências do poder público.

Conforme apurado pelo SãoBernardo.INFO, Aurelino foi afastado da Policlínica assim que a Prefeitura soube do ocorrido, mas testemunhas afirmam que ele continua clinicando em outros endereços pela cidade.

Um comentário :

  1. essa moça foi estuprada
    esse médico é um psicopata perigoso

    imagine se ela falasse que era PTista - tava mortinha

    ResponderExcluir

Web Analytics