domingo, 7 de maio de 2017

A Ditadura Midiática Judicial

Carlos D'Incao 

A DITADURA MIDIÁTICA JUDICIAL 

A perversidade da grande imprensa brasileira mereceria mais do que um artigo, mas uma enorme enciclopédia. Afinal, ela consegue ser a representação de tudo o que há de errado e que deveria ser erradicado em nosso país.

Ao longo do século XX, as emissoras de televisão tentavam manipular seus telespectadores com imagens, notícias distorcidas, meias verdades, sofismas, além de mentiras em seu estado "puro".

No século XXI, porém, temos uma mudança qualitativa que poucos perceberam:

Os grandes meios de comunicação passaram a DITAR os sentimentos e as posições que os telespectadores devem ter sobre as notícias e os fatos relatados.

Assim, passamos a viver, literalmente, em uma DITADURA dos grandes meios de comunicação. E nessa Ditadura não há espaço para qualquer reflexão.

Hoje as notícias são fabricadas para inserirem a conclusão e o sentimento que os cidadãos devem ter, sem que haja qualquer questionamento ou qualquer outra interpretação possível dos fatos.

Tudo já é pré-determinado pela narrativa imposta: quem é a vítima, quem é o culpado, quem é o herói, quem é o vilão, quem está do lado do bem e quem está do lado do mal.

Quando se noticia um crime, por exemplo, ignora-se que o mesmo - para assim se configurar - depende de um processo judicial onde caberá a produção de provas, investigação, denúncia, amplo direito de defesa e, enfim, um julgamento que condenará ou absolverá o réu...

Mas tudo isso pouco importa.... Pois a realidade dos fatos não está em pauta. O que está em pauta é um processo ardiloso de doutrinação da população que deve aprender a seguinte lição:

Os grandes meios de comunicação detêm o monopólio da verdade. Eles - e somente eles - podem julgar e condenar quem quer que seja. Podem apontar quem são os culpados e os inocentes, os honestos e os corruptos, se a nossa crise está acabando ou apenas começando, se o protesto dos trabalhadores foi legítimo ou se foi obra de baderneiros, se a polícia militar foi violenta ou se ela foi "provocada".

E essa Ditadura dos meios de comunicação agora conta com um poderoso apoio: o Poder Judiciário. Juntos (Mídia e Judiciário) estão estabelecendo uma nova ditadura - como nunca se viu antes em nossa História - a Ditadura Midiática Judicial.

A mesma lógica imposta nos noticiários do cotidiano agora é aplicada em uma dimensão muito maior: na atual narrativa dos grandes meios de comunicação, Lula é o mal, Moro é o bem, Lula é culpado e os seus delatores (alguns condenados a mais de 50 anos de prisão) não apenas são inocentes como suas delações são verdades inquestionáveis...

O espetáculo da manipulação agora atinge seu ápice quando tenta-se convencer toda a nação de que um Triplex de 1 milhão de reais - que não pertence a Lula - vale mais do que a propina de 40 milhões de reais, que Temer recebeu, em dinheiro vivo.

Os quartéis generais dessa nova Ditadura do século XXI são a Rede Globo de Televisão e a Operação Lava-Jato. Por essa razão todos os setores democráticos devem denunciar e contra-atacar de forma impiedosa e incessante esses dois bastiões do neofascismo brasileiro.

Na operação Lava-Jato não há promotores e nem juízes, mas perniciosos fascistas com o propósito de se valer de todos os mecanismos judiciais existentes para esmagar toda e qualquer força democrática que existe nesse país.

Da mesma forma, na Rede Globo não há nenhum jornalista, cinegrafista ou fotógrafo. São todos soldados que lutam com todas as suas forças para garantir a perpetuação de sua dominação ideológica por toda a nação, enterrando de vez qualquer possibilidade de construção de uma sociedade livre e pensante.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Web Analytics