segunda-feira, 3 de abril de 2017

Somos todos bolsonaros?

Weden Alves

Principal cena do filme A Lei é Para Todos é uma dramatização da tentativa de sequestro de Lula com fragmentos de vídeos feitos e cedidos ilegalmente. Ou seja: fora da lei.

Semana passada a atriz do filme, Flávia Alessandra, guiada por Dallagnol, foi visitar as dependências da PF em Curitiba, e, dizem, fez selfie à frente da cela de Marcelo Odebrecht.

Práticas de humilhação e violência institucional contra a dignidade humana bancadas por policiais e procuradores com forte apoio da mídia.

Mas o mais grave não é a prática mas a naturalização da prática. A maioria dos brasileiros apoia tortura como forma de investigação.

Temos certeza de que os 40% de presos mantidos sem julgamento são sim criminosos. Aliás, criminoso é todo aquele denunciado pela mídia. Nem precisamos mais de julgamento.

E mesmo que você se indigne quando violentam a dignidade do político de afinidade, não é difícil que mande um f*-se se é o adversário o desrespeitado.

Quem transgride nossa causa social tem que ser preso. E não "reeducado". Quem parece nosso adversário tem que ser humilhado.

Para nós brasileiros, fazer justiça é fazer vingança. Quem cometeu um erro deve pagar pelo resto da vida. Embora esta disposição se dê (como é próprio do espírito justiceiro) de forma seletiva.

Não argumentamos: detonamos. À esquerda e à direita abusamos de verbos fortes - como massacrar, destruir - para dizer que nosso lado venceu.

Bolsonaro - o próprio - não é um alienígena. Ele é fruto de uma cultura.

O país já é culturalmente Bolsonaro. É a cultura bolsonara que nos faz achar execuções, torturas, abusos dos "lavas jatos", pré-julgamentos midiáticos e práticas afins absolutamente normais.

Bolsonaro na Presidência não nos fará piores. Só nos fará olhar para o espelho.

Para que não haja chance dele ou similar chegar à Presidência algum dia, é fundamental extirpar o bolsonaro que existe em cada um de nós.

Em tempo: Dona Marisa ainda não foi absolvida por Moro. Mesmo morta há um mês. A patuleia aplaude.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Web Analytics