sexta-feira, 21 de abril de 2017

Se a perfeição existisse, Josias de Souza seria um canalha perfeito


Claudio Guedes 

O nome dele? Josias de Souza.

Jornalista? Não.

Agora é assistente de acusação de Sérgio Moro, o juiz de Curitiba.

Diz ele hoje no seu blog e no UOL, 21/04, que Lula destruiu provas de um processo e que por isso deve ser preso, pois destruir provas é crime.

Mas como além de assistente da acusação ele é também conselheiro de juízes, afirma o careca bacana: "Entretanto, se estiver com os miolos no lugar, Moro perceberá que há um limite depois do qual o rigor deixa de ser uma virtude na rotina de um magistrado. No momento, é desnecessária e arriscada a detenção de Lula ..."

Em nenhum momento do seu artigo ele levanta a suspeita óbvia: por que o delator preso há dois anos, já condenado a 39 anos de cadeia e preso de novo, e que busca desesperadamente um acordo que o livre da cana, não estaria fazendo o jogo dos procuradores e do juiz que querem porque querem pegar o ex-presidente?

É esse o jornalismo que temos hoje no país.

Jornalista? Ou um escroque?

Não é um jornalista, apenas mais um puxa-saco, mais um linchador de plantão.

Ah! a foto que ilustra o artigo é um Moro, em quase close, com a mão no queixo e ar de pensador.

Se a perfeição existisse, eu diria: taí um canalha perfeito esse pseudojornalista.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Web Analytics