quarta-feira, 26 de abril de 2017

São Paulo: uma Arábia Saudita sem petróleo

Carlos D'Incao

FUNDAMENTALISMO TUCANO

O exercício da memória é uma das principais armas em momentos como esse, quando a desesperança é tão forte e os reacionários se empenham - com toda a sua brutalidade - em despedaçar o sonho de um mundo mais livre, justo e humano.

O Estado de São Paulo é o maior exemplo da imposição de regras e leis típicas de um país fundamentalista. Em primeiro lugar, temos um governador que não esconde o fato de ser parte da Opus Dei (aquela mesma facção católica e extremista do filme "O código Da Vinci"). Os promotores de justiça (aqueles do Powerpoint do Lula) são evangélicos fanáticos. Por fim, a Assembleia Legislativa é dominada por uma bancada fortemente religiosa.

Vamos lembrar de algumas peculiaridades do Estado mais tucano do Brasil, São Paulo ou... Tucanistão:

Em São Paulo assistir um jogo de futebol ao vivo é um fato sob vigília judicial. Bandeiras... são proibidas; pintar o rosto... não pode; torcidas grandes dividirem o mesmo estádio... em hipótese alguma; cerveja... nem pensar (só sem álcool). Vejamos... No Rio de Janeiro tudo isso é permitido e morre muito menos gente envolvida em brigas de torcida.

Mas o que interessa - para os nossos promotores ultra-evangélicos - não é e nunca foi acabar com a violência, mas sim "combalir um esporte profano que desperta todo o tipo de vício" como já disse Dallagnol palestrando em uma igreja batista a qual frequenta cotidianamente.

Em São Paulo há uma perseguição aos fumantes apenas comparável à política anti-tabagista que Adolf Hitler implementou na Alemanha. Fumar em estádios... é proibido; fumar em bares com áreas abertas com guarda-sol... não pode; fumar dentro de um clube... nem pensar; áreas especiais para fumantes... todas abolidas; fumar dentro do seu próprio apartamento... também não pode! Sim... O condomínio tem poderes de multar e até interditar um apartamento, se um vizinho reclamar do cheiro de tabaco...

Mas o que importa é a defesa da saúde do cidadão, não é? Mas o cuidado do governo de São Paulo com a saúde a gente pode conferir nos hospitais estaduais e nos postos de saúde... O que está em pauta não são os pulmões, mas o controle das mínimas ações do indivíduo. Uma estratégia totalitarista. O país que possui os melhores índices de saúde da América (incluindo EUA e Canadá) é Cuba... Quem já ouviu falar de seus charutos?

Em termos relativos, São Paulo é o Estado que pior paga os professores na América (incluindo o Haiti e a Guiana). Educação é a inimiga número um dos tucanos. E os professores de ciência que se cuidem pois aqui uma escola pode optar por um currículo que substitui seus abomináveis e profanos temas pelas sagradas escrituras.

Em São Paulo um jovem de 17 anos não pode fazer uma tatuagem e nem colocar um piercing, nem mesmo com a autorização dos pais. "Profanar o próprio corpo é pecado previsto na bíblia..." afirmou o deputado Campos Machado. "Além de ser uma ameaça à saúde!" emendou... sem explicar a razão pela qual seu projeto de lei abriu exceção para que meninas pudessem colocar brincos nas orelhas.

Apenas com esses exemplos, poderíamos afirmar que São Paulo já é um Estado com mais restrições civis do que o Irã e o Líbano. A diferença é que esses países não possuem presídios super-lotados, escassez de água e uma das polícias mais violentas (e mal pagas) do mundo.

Mas no Tucanistão as coisas ainda podem avançar muito mais: tramitam na Assembléia Legislativa leis bem interessantes como a imposição de limites no comprimento das saias das meninas nas escolas públicas, a desobrigatoriedade da orientação sexual escolar, a proibição de grafites em espaços públicos e a criminalização do jogo de dominó e do truco.

Ao que depender dos paulistas, que votam consecutivamente nos tucanos, chegaremos lá... Com Dória ou sem Dória.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Web Analytics