terça-feira, 25 de abril de 2017

O Brasil que a Rede Globo deseja

Marinho, Murdoch e Merval, o podre
Carlos D'Incao 

O que a Rede Globo deseja divulgando de forma insistente e ininterrupta a operação Lava-Jato, as delações da Odebrecht e tantos outros escândalos?

Desejaria ela realmente passar a limpo o Brasil e iniciar uma nova era de transparência e honestidade? Ao que parece, se essas fossem suas intenções, ela mesma estaria prestando esclarecimentos sobre seu próprio envolvimento com os esquemas da Odebrecht...

Como Emílio Odebrecht disse - em sua delação - por muitos anos ele sempre "planejou esquemas políticos e aprovações de emendas com Roberto Marinho e outros diretores da Rede Globo".

Mas fatos como esses - que nos fazem lembrar que o Brasil dos sujos porões da corrupção é em boa parte criação da própria Rede Globo - são convenientemente escondidos.

Não. Definitivamente honestidade e transparência não fazem parte dos planos da Globo...

Seria o seu plano apenas atingir Lula e o PT? Se assim fosse, por que ataca também as principais lideranças do PSDB e do PMDB? Afinal, qual é o seu lado?

Antes de qualquer coisa, devemos responder a uma pergunta básica: Quem é a Rede Globo?

Trata-se de uma empresa multi-bilionária que é o principal meio de comunicação do Brasil. Como "meio", isto é, uma "via" de comunicação, sua existência, em princípio, está na dependência de quem transita na sua emissora. Trata-se de questionar quem são seus anunciantes e patrocinadores. Isso talvez nos esclareça alguma coisa...

Aqui já se revela algo interessante: os banqueiros são os seus principais financiadores. Junto com eles, mais de 90% dos 160 bilhões de reais gastos com publicidade em 2016 se deve a grandes empresas multinacionais. Entre as grandes empresas multinacionais destacam-se a Unilever e a Gennoma, as quais possuem como principais acionistas... adivinhem... os bancos!

E o que são os bancos senão os grandes representantes do capital financeiro internacional? Bom... Temos aqui uma dedução lógica: a Rede Globo é financiada pelos banqueiros que representam os interesses do capital financeiro internacional. Mas quão internacional é esse capital? Eis aqui mais uma informação valiosa: mais de 80% desse capital é de origem norte-americana.

Vejamos o que temos até aqui: dinheiro norte-americano financiando o mais poderoso meio de comunicação do Brasil... Pois é... E o que esses banqueiros querem? O mesmo que todos aqueles que têm muito dinheiro querem: comprar barato aquilo que vale muito.

E o que vale muito? Nunca tenhamos dúvidas disso: o que vale muito é o Brasil!

Esse é aquele país de dimensões continentais, infindáveis riquezas, grandes indústrias e o maior complexo agro-industrial do planeta. Esse é o país de grandes cidades, aeroportos, portos, hidroelétricas, rodovias, ferrovias e hidrovias... E é o país do povo que construiu tudo isso com o suor de seu rosto, o povo brasileiro.

Como fazer pra comprar esse país de forma barata?

Que tal iniciar uma infinidade de operações judiciais que simplesmente geram a maior crise política de nossa história? Que tal envolver nessas operações todas as nossas principais empresas nacionais e setores inteiros da nossa economia (como foi o caso da farsante operação "Carne Fraca")? Que tal estimular um clima de pânico e desesperança contínuos de modo a congelar investimentos, derrubar arrecadação e... quebrar cidades inteiras (como é o caso do Rio de Janeiro)? E... enfim... Que tal destruir as conquistas sociais desse povo, de modo que ele se veja obrigado a trabalhar nas piores condições, sem nunca mais aposentar?

Pronto.

É esse o Brasil que a Globo deseja, pois, é exatamente isso que os banqueiros norte-americanos desejam.

Como todo grande sonho, tudo se iniciou aos pouquinhos, com uma nebulosa "Operação Lava-Jato". A mesma foi entregue nas mãos de um desconhecido juiz - um tal de Sérgio Moro - recém chegado dos EUA, onde fazia um curso sobre "métodos de coação judicial, via delação premiada" (antes mesmo da "Lei da delação premiada" ser aprovada no Congresso)...

Na verdade, a Rede Globo não apoia ninguém no Brasil porque ela não representa os interesses de ninguém que está no Brasil. Ela é representante dos interesses de um país estrangeiro. Obviamente que a Globo vai atacar de forma mais virulenta aqueles que ameaçam de forma mais contundente os planos de quem lhe financia, isto é, Lula e o PT.

Mas no fim ela não apoia e nem apoiará ninguém, pois o desgoverno do Brasil - nesse momento - interessa ao capital estrangeiro. O governo Temer-tucano promete cumprir com os desejos desses banqueiros. Muito bem... Recebem menos fogo... Caso no fim dessa história restar alguém no governo para leiloar nossas almas, esses serão poupados até a última martelada. Depois disso, pouco importará...

Pois o Brasil que a Rede Globo deseja é justamente o "Não Brasil".

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Web Analytics