sexta-feira, 21 de abril de 2017

A desonestidade da mídia seria patética se não fosse tão séria

Ana Lagoa

Seria apenas ridículo, apenas patético, se não fosse tão sério.

Então arrumaram uma explicação pra falta de provas: Lula (nunca nos esqueçamos dos convictos do power point), o "grande capo" da "propinocracia", mandou destruir as provas.

E assim podemos pô-lo a ferros, afinal como duvidar da palavra do delator? Político não é tudo safado mesmo, não é isso que está arraigado na crença de todo mundo?

É a mesma lógica do power point: se o apartamento e o sitio não estão em nome dele, é porque evidentemente é dele! Ele só não botou no próprio nome pra despistar.

Eu ia dizer que tudo isso ofende há muito tempo a inteligência das pessoas, mas é claro que, pra ser ofendido, é preciso ser inteligente.

O grave é ver gente de esquerda contribuindo com a estratégia da direita que a mídia comanda.

É impressionante o que tem de gente entrando na onda de que, ah, depois das delações Lula vai despencar.

Acho que nem os comandantes desse noticiário tosco imaginaram tanto sucesso.

FALÁCIAS E IGNOMÍNIAS DO DIA

- o delator da vez diz que não há provas contra Lula porque ele mandou destruir as provas. FÁCIL, ASSIM, NÉ?

- NA EDIÇÃO de texto do VT sobre as pesquisas de opinião, mais um lance de ginástica aeróbica.

Não deu pra anotar, mas imaginem inversão de frases e de categoria das perguntas e resume assim:

- Lula vai bem, mas isso tudo foi antes das denúncias da dupla de "super-heróis" da construtora. (ver no site da BN, deve estar lá).

- Seguem nas mentiras sobre as manifestações na Venezuela

- e tome de usurpador... overdose.

MAS NA HORA DO ATENTADO EM PARIS, o âncora torce pelos dois policiais atingidos.

Pungente! emocionei...

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Web Analytics