sábado, 11 de março de 2017

Grupo Estado fecha a Rádio Estadão e aluga frequência para exploradores da fé popular

Fernão Mesquita, ignorante, golpista e incompetente

Nenhuma surpresa. O ex-jornal não sabe o que fazer para sobreviver, carregando o peso de sua ineficácia e de suas posições anacrônicas, golpistas e meio debiloides que marcam sua história há décadas. No fim das contas, vai acabar fechando. Nos últimos anos, tudo que o grupo fez foi demitir gente e fechar veículos -- "descontinuar" é eufemismo corporativo.

Tenho muita pena de quem perdeu seus empregos, e sinto realmente por todos -- amigos, conhecidos, colegas, jornalistas respeitáveis. Mas aqueles que rezaram por essa cartilha demolidora e disseram amém aos quatrocentões passando o rastelo sem dó em suas redações que se danem.

O grupo vai alugar a frequência para alguma igreja. É ridículo. O governo deveria cassar a concessão. Concessão de rádio e TV é dada a quem se dispõe a produzir conteúdo artístico ou jornalístico. Mas quando uma empresa recebe o presentinho -- que é de graça -- e resolve repassá-lo a quem não tem esse direito para ganhar dinheiro fácil, que se tome a concessão de volta.


Mas nunca farão isso.



Grupo Estado descontinua a Rádio Estadão 
Portal dos Jornalistas 

O Grupo Estado anunciou a seus colaboradores na tarde desta sexta-feira (10/3) a decisão de encerrar as atividades da Rádio Estadão (92,9 FM). Em sua freqüência, a partir de 18 de março, passará a ser veiculado conteúdo da Comunidade Cristã Paz e Vida. 
Ainda não há informações oficiais sobre demissões, mas segundo o comunicado, a Rádio Eldorado (107,3 FM), que também integra o grupo, passará a apresentar novos conteúdos jornalísticos em sua programação. 
Em menos de uma semana, será a segunda emissora de um grande grupo de comunicação a encerrar suas atividades, uma vez que neste domingo (12/3) a Bradesco Esportes FM, do Grupo Bandeirantes, também sairá do ar.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Web Analytics