sábado, 18 de março de 2017

Fogo-amigo entre golpistas: corruptos e fascistas em luta

Fernando Horta

Fogo-amigo

Desde que a saída de Dilma ficou sacramentada vem ocorrendo uma batalha silenciosa entre os diversos grupos que trabalharam pelo golpe. Há algum tempo venho chamando à atenção para o erro da interpretação da "grande conspiração de direita". Serra, Aécio, Temer, Padilha, a Globo, o capital internacional, Dallagnol, Moro, MBL e etc. todos estes atores têm interesses diferentes - bem diferentes - que encontraram temporariamente um ponto comum. Nada mais. 

Recentemente chamou a atenção os colunistas da veja atacando os membros do MBL, recentemente atacando membros do MP que acusavam Lula, Gilmar Mendes passando pito em Moro, o mesmo Moro sendo exposto por setores conservadores da mídia e etc. Um tremendo desencontro entre as forças conservadoras.

Agora, como lembrou Charlles Adriano Campos, uma operação sobre o agronegócio brasileiro que vai deixar Ronaldo Caiado e os Marinho revoltados. Causará bilhões de dólares de prejuízo, jogará o PIB do Temer ainda mais no poço e nada disso parece ser lógico se os conservadores que deram o golpe e tomaram o poder agissem em conjunto. 

Pois é aqui que quero entrar. O delegado que deflagrou a operação da carne trabalhava na Lava a jato. Tivemos oportunidades de ver sua (parca) inteligência em ação. Foi, portanto, silenciosamente removido, dentro do movimento maior que Jucá nominou "estancar a sangria". Certamente que não ficou feliz. Certamente que está tentando usar o mesmo expediente que fez um medíocre como Dallagnol virar "herói nacional" por um tempo: o estardalhaço midiático. 

O que está acontecendo agora no Brasil começou em 2015 quando Aécio e outros políticos quase foram linchados na paulista por manifestantes. O fascismo que o PMDB e o PSDB, com apoio estrangeiro, ajudaram a criar no Brasil, não pode ser mais contido. Aconteceu igual na Alemanha, Hitler era visto como um "idiota útil" pelo grande capital. Deu no que deu. 

Semana passada Aécio em reunião dos que deveriam estar usando tornozeleira perguntou em alto e bom som "vamos deixar um aventureiro tomar o país?". É disto que se trata. Os fascistas imbuídos da cruzada moral contra os maus costumes e contra a corrupção não entenderam que foram usados apenas para tirar Dilma e enfraquecer o PT. Não entenderam e não aceitam. Por isto Joice Plágio ataca Reinaldo de Azevedo, Gilmar ataca Moro, Jucá alerta para a "suruba" para todo mundo, o MBL perde apoio e briga com outros grupos. A disputa agora é como calar os fascistas. A operação da carne, levada pelo delegado grilo cumpre semelhante papel da noite dos cristais na Alemanha. São os fascistas, empoderados pelos corruptos, que se negam agora a sumirem na poeira da História e querem levar adiante sua cruzada moral. 

Agora, contudo, a cruzada vai pegar Jucá, Padilha, Aécio e Temer e então o acordo que tirou Dilma se desfaz e a luta é entre os corruptos e os fascistas. A direita está vendo porque sempre foi dito que com o fascismo não se brinca e democracia se defende. É exatamente a mesma situação que fez com que os democratas abortassem os planos de golpes contra Trump. Afinal, é melhor um governo contrário mas contido por instituições do que acabar com a democracia e ver triunfar o fascismo. 

Corremos sério risco, no Brasil, de que nem os corruptos consigam conter os fascistas. Estimularam a ignorância e empoderaram a mentira e a violência, agora o monstro ataca seus criadores. Veremos a Globo mudar o discurso em breve e criminalizar Dallagnóis, Grilos e Rólideis... Se não conseguirem segurar o fascismo veremos a Globo apoiando Lula em 2018, exatamente como apoiaram Freixo contra Crivella. 

O problema é que Freixo perdeu....

Um comentário :

Web Analytics