quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

Zé do Caixão não se converteu em evanjegue


SOBRE A “SUPOSTA” CONVERSÃO RELIGIOSA DO MEU PAI, José Mojica Marins Zé Do Caixão, E SOBRE “RENEGAR” SEU PERSONAGEM “ZÉ DO CAIXÃO”.

Pessoal, rolou um boato de que meu pai teria se convertido à Igreja Adventista.

Fatos: Meu pai não se converteu a nenhuma igreja. Meu pai não se “batizou” nesta e em nenhuma igreja, com exceção da católica, quando ainda era um bebê e foi batizado, não por seu desejo, mas pelo desejo dos meus avós, que eram católicos. Meu pai continua sendo católico, embora não praticante.


José Mojica Marins é cineasta e ator, além de possuir outras habilidades artísticas. “Zé do Caixão” é o seu personagem mais famoso, embora não seja o único que interpretou.

Existe “criador e criatura”, no seu caso, “criaturas”, pois, Mojica criou vários personagens. Mas, Zé do Caixão tornou-se uma “LENDA VIVA”, cultuado no Brasil e exterior.

José Mojica Marins é o nosso ícone do terror, e um dos ícones do cinema fantástico mais famosos do MUNDO.

Foi péssimo alguém postar uma foto “criando um suposto fato” e gerando polêmica. Não sei qual foi a intenção desta pessoa, se foi somente empolgação ou o desejo de que isto fosse verdade.

No passado meu pai já foi abordado por várias igrejas evangélicas oportunistas a fim de gerar mídia de “suposta conversão”. Recebeu até propostas financeiras tentadoras para isto, e recusou.


Afinal de contas, se alguma delas conseguisse, seria a igreja que conseguiu converter o “Zé do Caixão”.

Esclarecendo, o que na minha opinião, dispensaria esclarecimentos:


ZÉ DO CAIXÃO??!!??!!!! ZÉ DO CAIXÃO EXISTE MESMO? QUE EU SAIBA ZÉ DO CAIXÃO É UM PERSONAGEM FICTÍCIO QUE NÃO ACREDITA NEM EM DEUS E NEM NO DIABO.


Zé do Caixão até pode habitar o imaginário popular, mas, é um personagem ficcional, assim como a “Liz Vamp”, filha do Zé do Caixão.

Eu, Liz Marins, sou filha do José Mojica Marins.


Está tão difícil para alguns entenderem isso?

Agora uma informação:

SIM! Para os curiosos sobre Mojica, diferente do “Zé do Caixão”, ele acredita em Deus! Mas, como já falei, continua sendo católico não praticante.


Ele esteve em uma Igreja Adventista? Sim! A sua atual esposa é evangélica e ele a acompanhou em um culto. Aliás, ele já esteve acompanhando-a em diferentes igrejas umas três vezes nestes últimos meses. Esteve na função de “marido” da atual mulher que queria muito a sua companhia em ocasiões bastante importantes PARA ELA.


Agora, e se José Mojica Marins virasse budista? E se virasse umbandista? E se virasse adventista? O que mudaria?

Por acaso ele estaria preso? Estaria fadado a sequer conhecer, pisar em templos diversos? Por quê? 

Por quem? E quem são essas pessoas que procuram rotular e aprisionar um ser em estereótipos? Será que elas gostariam de ser aprisionadas?

Já sofremos preconceitos demais por confundirem nossa profissão na área da arte "fantástica" com nossas crenças, ou até mesmo, com nossa índole.

Existe um Universo aberto a “N” descobrimentos, a agregadoras aventuras, novidades.

Nossos personagens podem ser “produtos”, mas nós, os criadores, não. SOMOS LIVRES!!!


Sou contra religiões que se aproveitam da fé alheia, assim como contra as que discriminam, que preconceituam [sic], que rotulam pessoas por sua aparência ou diferentes crenças e meu pai compartilha da minha opinião.

Eu, particularmente, sou uma eterna curiosa e estudiosa da alma humana, do Mundo, do Universo, e estou sempre tentando agregar conhecimentos sobre culturas e crenças diversas.

E para os fãs da icônica obra de José Mojica Marins, assim como do personagem Zé do Caixão, ele não “RENEGARÁ” seu mais famoso personagem. 

Zé do Caixão, com suas fanáticas e psicopáticas “fixações” só se encontra mais forte, pois, eterno o personagem já é.


Para tranquilizar os fãs mais afoitos, com exclusividade estou divulgando uma das fotos tiradas no set do curta-metragem “Sinistro Legado”, de minha direção, roteiro meu e de Julio Wong, e que será a 4ª história do longa “13 Histórias Estranhas II”, organizado por Ricardo Ghiorzi.

Na foto, uma espécie de "releitura" de cenas, de fotos de suas obras, meu pai contracena com o talentoso ator e diretor Rubens Mello. Esta foto é do dia 07/01/2017 (um sábado!) Sábado de muito trabalho em prol da sétima arte brasileira! Obrigada a todos os talentosos profissionais que estão fazendo parte deste belo trabalho!

Este trabalho é só o começo de um ano profissional de muitos planos, de muitos projetos traçados. 

Vem muito mais por aí!!! A saúde do meu pai se estabilizou no ano passado. Por causa de seu estado de saúde debilitado e de literal luta pela vida dele por quase dois anos, cancelei vários projetos e adiei outros. Sua saúde, sua vida e QUALIDADE DE VIDA, estão e sempre estarão em primeiro lugar para mim e, tenho certeza, para os que o amam.

E, convenhamos: Quem conhece o Mojica pessoalmente sabe que ele pode ser até bem “traquina” em alguns aspectos, mas, bastante amável. Bem diferente do cultuado “Zé do Caixão”...

Para quem realmente é fã, só tenho uma coisa a dizer:

Obrigada pelo REAL carinho!


E um VIVA ao Mojica com qualquer opção pessoal que decidir ter (relacionamentos pessoais (consensuais), time de futebol, religião, trajes e etc...) e um VIVA ao Zé do Caixão com sua obcecada ideologia! A dimensão da ficção dá tempero à nossa dimensão! Viva a ficção! Viva a arte e o cinema fantástico!

E UM VIVA A TODOS QUE DE ALGUMA FORMA FAZEM DESTA NOSSA REALIDADE, UMA REALIDADE MELHOR DE SE VIVER!!!

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Web Analytics