sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Unimed demite Richam Faissal Ellakkis, o médico do Capeta

Unimed demite médico que sugeriu matar Marisa

247 - O neurocirurgião Richam Faissal Ellakkis, que sugeriu em um grupo de WhatsApp um procedimento para matar a ex-primeira-dama Marisa Letícia, foi demitido nesta sexta-feira 3 pela Unimed. O médico trabalhava no hospital de São Roque, interior de São Paulo.

A direção da Unimed divulgou o seguinte comunicado: "A Unimed São Roque repudia veementemente as declarações dos médicos citados nas reportagens que abordam o vazamento de informações sigilosas durante o diagnóstico da ex-primeira dama Marisa Letícia Lula da Silva".

O comunicado informa ainda que o profissional não fazia parte do quadro de médicos cooperados, mas era "médico terceirizado no hospital próprio da cooperativa, por meio de contrato de prestação de serviços". "As demais medidas relacionadas ao caso estão sendo apuradas pelo Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp), conforme o Código de Ética Médica", diz ainda a nota.

Com isso, Ellakkis se torna o segundo médico a ser desligado por agressões relacionadas à morte da esposa do ex-presidente Lula, confirmada na noite desta sexta. Antes, a médica Gabriela Munhoz foi demitida pelo Hospital Sírio Libanês, onde estava internada Dona Marisa, por compartilhar informações sigilosas da paciente também pelo WhatsApp, em um grupo de médicos que estudaram juntos na faculdade.

Richam Ellakkis fez o seguinte comentário em cima das informações divulgadas por Gabriela: "Esses fdp vão embolizar ainda por cima. Tem que romper no procedimento. Daí já abre pupila. E o capeta abraça ela".


25 comentários :

  1. Eu teria algum cuidado na análise da história desse médico, dr. Richam. Certo é que ele é mais um reaça atrasado e preconceituoso. Certo é que ele pegou pesado no grupo do whats com um papo de extremo mau gosto e extrema falta de respeito.

    A conversa vazou, viralizou, e envolveu o nome da empresa em um imbróglio muito desagradável. O que acabou por custar o emprego do dito cujo.

    Daí pra frente, entramos no campo das paixões e especulações. Será que ele pretendia matar a ex-primeira-dama? Será que ele deliberadamente quis incitar um assassinato? Será que ele é um psicopata com tendências homicidas?

    Eu não tenho elementos para dizer. Não o conheço. Mas na dúvida, devo dizer que não.

    A demissão dele não pode ser usada como argumento para se questionar sua aptidão como médico, foi apenas uma solução da Unimed para aplacar as relações públicas - foi o famoso "queimou a fita, tá fora".

    Chamá-lo de assassino e pedir sua cabeça, cassação do CRM, etc, como vi bastante no Twitter, é, no meu entender, infundado. Compreensível pelo momento de dor e indignação, mas incorreto.

    Quero crer que tudo não passou de uma brincadeira de mau gosto que vazou e pegou muito, muito mal. Quero crer que daqui pra frente o dr. Richam aprenda a valorizar o ser humano como algo mais do que uma máquina a ser consertada, e que todo ser humano é precioso. Quero crer que ele será um médico ainda melhor e salve muitas vidas. Ele jurou por isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Será é muito longe da realidade, o que voce classifica como campo das paixões eu classifico como incentivo. Devemos coibir as menores possibilidades para não estimular as maiores.
      Um médico sugerir a morte de uma pessoa acamada ja é o bastante. O dr. Hicham tem que servir de exemplo para os seus demais colegas reaças.

      Excluir
    2. Como são bonitinhas suas palavras, queria ver você escrever as mesmas coisas se fosse com um familiar seu.

      Excluir
    3. Seu comentário é facista.Talvez você nem saiba o que isso significa, mas é facista e ignorante.

      Excluir
    4. Quero crer que tudo não passou de uma brincadeira de mau gosto ... isso é brincadeira de mal gosto? O desprezo pela vida de um ser humano? Ele jurou por isso, para defender e salvar a vida humana, não para fazer esse tipo de comentários que vão além de um simples "mal gosto", pois isso cheira a mão de papai que acoberta os malfeitos de menino mimado ...

      Excluir
    5. Me poupe . Eles nem de médicos devem ser chamados. Leva sua família para eles dois cuidarem .

      Excluir
    6. Concordo contigo ARM_Coder. Embora tenha sido de uma natureza atroz e leviana, o comentário infeliz do médico não configura, na minha opinião, um crime. Talvez os múltiplos julgamentos dos "especialistas da web" e a deminssão já sejam uma punição bem razoável pra ele próprio. Também espero que ele melhore a natureza de seus comentários e se torne uma pessoa mais consciente de suas atitudes.

      Excluir
    7. Dá teu cu pra ele.

      Excluir
    8. Agora estão querendo tipificar o que é e o que não é crime? Para mim, os comentários absurdos do médico foram ditos a uma classe médica, num grupo do whatsapp. Brincadeira ou não, é de se supor que, no momento da outorga, diplomação, o médico assumiu um compromisso ético com respeito à vida. Por isso, o comentário que fez configura sim um "desvio na norma", que é o que caracteriza ou não tal fato a um crime. Discordo tatalmente de sua argumentação

      Excluir
    9. Isso - ele especulou. Torceu pelo pior. Tudo que um médico não deve fazer com relação a qualquer paciente que seja.

      Excluir
  2. Comentei sobre o dr. Richam, agora faço um puxadinho pra comentar sobra a dra. Gabriela Munhoz.

    Sobre a lambança do dr. Richam, como eu já disse no outro comentário, cabem várias dúvidas, ele pode simplesmente ter bancado o palhaço em um grupo supostamente fechado, e no fim caiu vítima da palhaçada. É mais o caso de ter cuidado com o que escreve, e talvez pensar menos besteiras. Bola pra frente.

    O caso da dra. Gabriela é muito pior. Vazar dados de pacientes é uma violação grave, isso até quem assiste o seriado do House sabe. Se o caso do dr. Richam é, digamos, limítrofe, o da dra. Gabriela é um pé-na-jaca faraônico.

    Para ela a demissão é apenas o começo, ela realmente vai ter que responder ao conselho por desvio de conduta. Eu não conheço o regimento deles, mas não torço por uma cassação de registro, nada radical. Uma multa e uma suspensão talvez. Também não torço por uma condenação no criminal, se é que cabe. Se ela tomar uma punição administrativa e deixar se ser besta, já vai estar de bom tamanho.

    Tanto um como a outra já devem estar bem constrangidos com a "fama" repentina que ganharam na Net. Merecida, por sinal. Ela provavelmente já deve estar preferindo ter levado um dedo *naquele lugar* do que estar passando por isso. Depois dessa, acho que ela não vai mais carregar cartazes em protestos coxinhas.

    Enfim, torço pela recuperação ética e profissional dos dois. O mundo já tem desgraça demais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Sr. como médico, acredito eu, que seus comentários são puro corporativismo porque sabe que pau que da em Chico da em Francisco. Eles tem que ser punido e servir de exemplo, multa e suspensão pelo constrangimento que a família passou é pouco. Eles tem que ter o registro cassado, não da para pensar que uns ser humanos destes ao atender alguém que não compartilha da ideia deles sejam prejudicados.

      Excluir
    2. Que sociedade distorcida, meu Deus! Há quem defenda esse cara??
      Faz o seguinte exercício intelectual, cara: imagina que o que vc chama de "brincadeira de mal gosto que pegou muito mal" fosse relacionado a tua mãe, ou esposa, ou filho!

      Excluir
    3. Sou médico e discordo.O papel do Sr Richam é muito pior.Ela foi ingênua e infantil, como essa geração de médicos costuma ser.Ele foi cruel, fez um comentário pessoal.

      Excluir
    4. Você torce pra dar em nada né seu merda? Pra mim eles tem que ir presos, e quem apoia também!

      Excluir
    5. Ambos erraram feio e devem ser punidos, mas não faço libelo pra que percam o direito a exercer a profissão. São muitos anos de sacrifício. Torço pra que ambos, como você diz, se recuperem um dia. Demissão e vergonha, pra mim, já está de bom tamanho.

      Excluir
  3. Senhores: Não sou médico. Nem tenho médicos na família.

    Só acho que se formos pegar pesado com nossos desafetos, e querer sua ruína por paixão ou convicção, sem fatos concretos, vamos nos igualar aos fascistas que vivemos criticando.

    Isso não é compactuar com o crime. É apenas acusar no limite do responsável. Acusação leviana já tem de sobra vindo do lado de lá. Não quero fazer igual.

    A morte do Teori despertou inúmeras teorias da conspiração. Mesmo pessoas progressistas que considero bem informadas acham que foi atentado. Bom, sou aviador, conversei com vários pilotos, tudo parece indicar que foi acidente mesmo.

    Claro que tem que esperar o resultado da investigação.

    A ala progressista (esquerda, se preferirem) não é infalível. Na verdade, depois de anos de bombardeio e um golpe consumado, ela se perdeu, inclusive nos modos. Começo a ver as primeiras reações ao fascismo com mais fascismo, e isso é muito grave.

    ResponderExcluir
  4. To contando os segundos pra alguém soltar um "bandido bom é bandido morto". Sério, to começando a achar que tem infiltrado de direita querendo tumultuar o pedaço.

    Sinceramente? Sejam felizes com seu linchamento. Termino por aqui.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Melhor ir dormir mesmo para refazer suas idéias imbecis .

      Excluir
  5. Richam Faissal El Hossain Ellakkis, com este nome, vamos manda-lo para Guantánamo.

    ResponderExcluir
  6. Estamos vivendo uma verdadeira caça às bruxas neste país, para ambos os lados, é só paixão (ou ódio) que domina. Quase nada de racional. Não há debate sério. No que se refere a esses médicos, penso que devem ser punidos sim, no mínimo de acordo com o Códigos de Ética Médica e, se for o caso, responder na Justiça, principalmente no caso da Dra. Gabriela, que vazou informações sobre o estado de saúde de um paciente internado no hospital em que trabalha. Agora sem linchamentos, senão vira fascismo pra todo lado.

    ResponderExcluir
  7. O lixamento digital é fato e o lixamento público só está começando, estes dois aí vão ter que trabalhar somente em consultórios próprios (mesmo assim carregando para sempre este constrangimento), nenhuma clínica ou hospital vão querer que sua imagem seja associada a estes médicos, que se tornaram párias em nossa sociedade. Restam ir para os grotões onde a mídia não possa alcançá-los.

    ResponderExcluir
  8. No contesto em que um médico faz uma brincadeira de mal gosto em um grupo de amigos ou colegas do WhatsApp e, o vazamento da frase vem a publico, passa-se a existir um julgamento e principalmente a condenação do malfeitor, há nessa história aquele que deixou vazar, ou seja, alguém que levou a sério por questões morais ou políticas, não importa, mas o fez! O mundo está mais perigoso e arriscado com os Faces, instas, whats e outros, se mesas de bares tivessem esse mesmo poder de alcance e viral, com certeza a sociedade teria uma dificuldade muito grande de encontrar médicos, dentistas, engenheiros e tantos outros profissionais que, com suas credenciais suspensas, estariam em sua grande maioria impedidos do execício das suas profissões.
    Que fique claro que isso não é uma defesa, mas sim um alerta para aquilo que se escreve ou grava-se nessas redes sociais, pois, ao contrário das mesas de bares, isto feito, não tem volta, um pensamento ou um "exageramento" uma vez colocado em rede está lançado à sorte de suas possíveis consequências, já no bar.. quem nunca falou M....?

    ResponderExcluir
  9. A atitude deste médico é gravissima e coloca em risco a segurança médica, hospitalar e ética. É evidente que este médico não possui os requesitos mínimos para exercer sua atividade, pois é pacífico que todo médico deve lutar em defesa da vida. Portanto, é evidente, claro, que violou gravemente o código de etica de sua profissão ao incentivar um homicídio. Diga-se ainda, que ele não só infringiu o código de ética profissional, como também, artigos do código penal. É inquestionável que tal postura incita a prática de crime de homicídio, crime de ódio, com o agravante da vítima estar em profundo estado de vulnerabilidade. Este médico demonstrou perfil psicológico que o inabilita ao exercício da profissão e coloca em suspeição todos os seus atendimentos passados. Sabemos que este médico até pouco tempo atrás trabalhava num hospital da zone leste de São Paulo, onde atende grande número de baleados. Certamente este hospital deve receber um grande número de baleados em confronto policial. Não é dificil, tendo em vista a declaração extremamente agressiva deste médico, chegar a conclusão que deve ser mais um defensor do surrado jargão " bandido bom é bandido morto". Portanto, deve ser revisado todo procedimento no qual este profissional fez parte. Não tenho dúvidas nenhuma em concluir que este profissional não tem capacidade nenhuma para exercer sua atividade, pois coloca em risco constante a sociedade, seus colegas de trabalho e as instituições que o contratar, devendo ser impedido de exercer o quanto antes a atividade, o sacerdócio medico. 9 de fevereiro de 2017 12:38

    ResponderExcluir

Web Analytics