sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Judiciário sem controle e formado por classe média iletrada joga o país na barbárie

Leandro Fortes
RUMO À IDADE MÉDIA

Uma juíza do Paraná (triste Paraná) baixou um decreto real pela qual se proíbe mulheres de usarem, nas dependências do tribunal, "decotes profundo a ponto de deixarem mais da metade do colo dos seios visíveis", além de roupas "transparentes a ponto de permitir entrever-se partes do corpo ou de peças íntimas e que deixem a barriga ou mais de um terço das costas desnudas".

Sem eleições, sem controle social, dominado por concurseiros de uma classe média egoísta, iletrada e inescrupulosa, o Judiciário brasileiro arrasta o País, dia após dia, para a escuridão moral da hipocrisia.




Nenhum comentário :

Postar um comentário

Web Analytics