quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Anos dourados

Palmério Dória 

Pânico na mansão de Midas 

Eike Batista um dia foi da Silva, omitido a pedido da mãe dele, Jutha, por ser comum demais. E também foi casado com Luma de Oliveira, cobiçada irmãzinha da fulgurante atriz Isís de Oliveira, 

Os três chegaram a morar juntos em mansão cinematográfica no Jardim Botânico. Em dado momento Luma entendeu que a segurança da mansão devia ser dispensada. Segundo dizem, depois de ter-se aconselhado com a irmã Ísis, que achava que segurança tão excessiva, além de dar "certo baixo astral" para a residência, não atraía "forças positivas do universo".

Com a dispensa dos leões-de-chácara, outras forças -- nada ocultas -- foram magnetizadas e se materializaram num bando de assaltantes que, após render os presentes, fez a limpa geral em parte do inesgotável patrimônio de Eike.

Mas, como se diz, life goes on. Eike construiu no mesmo terreno outra mansão, no estilo asteca, projeto do arquiteto Índio da Costa -- parente do cocô-boy que viria a ser vice de Serra na corrida presidencial -- e todos perguntavam se as paredes seriam de ouro, conforme a estética da antiga civilização.

Anos dourados.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Web Analytics