sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

A imprensa e o ódio

Antonio Veronese

O ódio fomentado diariamente pela imprensa contra Lula e sua família escapou completamente da manipulação e dos objetivos do golpe. Hoje, o ódio ganhou vida própria, força própria, independência e audácia. Esse ódio não tem alvo certo nem restrito, não tem limites nem faz concessões, não obedece a regras nem tem patrão.

O ódio, uma vez liberado das entranhas da sociedade, transformou-se rapidamente em força incontrolável e insaciável, que a todos atinge, e a todos inquieta... O ódio mudou para sempre o perfil do Brasil, sua autoimagem e sua imagem no exterior. O ódio hoje interfere profundamente nas relações pessoais, na vida cotidiana, no trabalho, nos espaços de lazer, na praia, na praça, no restaurante e mesmo no seio das famílias .... Do ódio ninguém mais está ao abrigo, do ódio ninguém se salva, a ele ninguém é indiferente, dele ninguém escapa, a ele todos temem. 

O ódio é a mais extraordinária herança dessa imprensa prostituída e reacionária que mudou para sempre a face, o perfil e o jeito de ser brasileiro.


Nenhum comentário :

Postar um comentário

Web Analytics